Pular para o conteúdo principal

25% DOS JOVENS NAMORARIAM UM ROBÔ,DIZ PESQUISA






Essas pessoas dariam uns beijos em um robô - mas só se não pudessem diferenciá-lo de um ser humano.

Você consegue imaginar como será o mundo da paquera daqui a 20 anos? Pode ser que seja possível namorar robôs, mais ou menos como no filme Ela. Ou, quem sabe, dar match em alguém em um aplicativo a partir do DNA. Claro, essas são apenas fantasias (ainda...), mas, para boa parte dos jovens britânicos, essas possibilidades de amor tecnológico são animadoras.

Pode parecer piração, mas os números foram conseguidos por meio de um questionário real, promovido pela ComRes - uma empresa britânica de pesquisas sobre comunicações. As respostas serão apresentadas no evento anual FutureFest, onde a brincadeira é discutir possibilidades futurísticas que parecem ter saído direto de da ficção científica. Mil pessoas que compraram ingressos para o festival foram entrevistadas online: a ideia era entender como os britânicos imaginam a Inglaterra e o mundo em 2036. 

As perguntas exploravam temas do dia a dia, como redes sociais, tecnologia e privacidade, mas também iam além, questionando sobre a possibilidade de relacionamentos amorosos com robôs. Os jovens (entre 18 e 34 anos) eram os mais soltinhos: 25% deles namoraria um robô - mas só se fosse impossível diferenciá-lo de um ser humano, e se fosse garantido que o androide seria seu par perfeito. Quanto mais velhos os participantes da pesquisa, menos liberais eles se mostraram: dos adultos (entre 35 e 54 anos), apenas 16% topariam as paqueras high tech com as mesmas ressalvas, e entre os mais velhos (acima de 55 anos), só 10% se aventurariam a namorar desse jeito. Mas, de todas as pessoas que responderam às perguntas, 51% acham que a robótica é mais ameaçadora do que promissora para a humanidade.

Outro cenário de paquera futurística proposto tinha a ver com o DNA: e se apps como o Tinder e o Happn usassem seu código genético para encontrar um par biologicamente perfeito para você? De novo, os jovens se animaram mais (31%) do que os adultos (22%) e os mais velhos (11%) - sendo que 72% dos participantes acham que o estudo do DNA humano é promissor.

A ComRes também fez perguntas gerais, fora do tema do namoro, que levaram a respostas interessantes. Metade das pessoas acredita que a tecnologia invade a privacidade - e que isso é terrível -, e a outra metade acha que isso não é um problema, desde que os avanços tragam também informação e conhecimento para todos. Mesmo assim, quando questionados se topariam implantar um chip na mão para ser usado como chave de casa - sem garantias de que a privacidade seria respeitada -, só 34% das pessoas disseram que sim. Mas o engraçado mesmo é que, apesar de o FutureFest celebrar ideias criativas do futuro, a pesquisa descobriu que metade das pessoas que vão ao evento prefeririam viver há 20 anos do que atualmente. Dá para entender?

FONTE:

Postagens mais visitadas deste blog

A ADOLESCÊNCIA E O DESPERTAR DA SEXUALIDADE

Eu e o Sexo:Tanto os pais como os professores encorajam para que eles tenham boas notas, aconselham a escolher cuidadosamente a sua área de estudo, pensar na média para fazer o curso; noutras palavras que construam um projecto de vida académico e profissional, mas esquecem-se daquilo que, hoje em dia, dá mais problemas: A Sexualidade. Esta fica num vácuo. Por vezes parece que as únicas alternativas oferecidas aos adolescentes, neste campo, são: a entrega para a mão de um preservativo, ou de uma embalagem de pílulas contraceptivas, com a mensagem (inconsciente) de: “Faz o que quiseres! Mas não me apareças em casa grávida ou doente!”, ou de não falar em nada relacionado com a sexualidade, com medo de lhes dar ideias.

Nesta idade os rapazes interessam-se pelo que está a acontecer com o seu corpo. Gostam de saber que a sua coordenação física, consequência do surto do crescimento que sofrem, é temporária e que vão voltar a ser uns azes no seu desporto favorito; que o tamanho do pénis não é…

O EFEITO DAS DROGAS NO SEXO

O Efeito das drogas no sexo. Drogas são substâncias naturais ou sintéticas que produzem alguma mudança mental ou física ao entrarem no organismo, modificando assim suas funções.
Há drogas cujos uso e comercialização são permitidos por lei como o tabaco, o álcool, os calmantes, os estimulantes ou depressores do apetite, por exemplo.
As drogas naturais vêm de algumas plantas, de animais e de alguns minerais. Ex.: cafeína (café), nicotina (tabaco), ópio (papoula), THC (maconha).
As drogas sintéticas são produzidas em laboratório.

Não há como falar em drogas sem fazer referência aos efeitos nocivos ou às suas possíveis consequências em relação à sexualidade.
As palavras sexo e drogas pareceram historicamente possuir um “e” entre elas. Como se o consumo de drogas e a atividade sexual fizessem parte de um mesmo comportamento.
Isso tudo porque existe a idéia de que o prazer do ato sexual é potencializado pela ação de substâncias químicas!!!


Porém, o que os estudos nos mostram é que a sexualidade é a…

O SIGNIFICADO DA AMIZADE COLORIDA

O SIGNIFICADO DA AMIZADE COLORIDA O que é Amizade Colorida:
Amizade colorida é um tipo de relacionamento onde há interação ou intenção sexual entre os envolvidos, mas isso não significa que sejam amigos. A diferença da amizade colorida para a amizade tradicional é a intimidade física que faz parte do relacionamento, não implicando compromisso com o parceiro. A tradução de amizade colorida para inglês é friends with benefits, cuja tradução literal é "amigos com benefícios". A amizade colorida tem as características de um namoro oficial, com beijos, abraços, carícias íntimas etc., mas não há as mesmas obrigações, como fidelidade, por exemplo. Surge a qualquer momento, seja com um amigo de infância, que passa a ser visto de forma diferente, seja com uma pessoa que conheceu numa festa e gostaria de voltar a encontrar, mas sem compromisso. Pode acontecer de uma delas (ou mesmo as duas), se apaixonar e querer levar a relação para algo mais sério. As consequências podem ser o término da …