Pular para o conteúdo principal

BEIJO NA BOCA É MAIS ÍNTIMO DO QUE SEXO


Beijo na boca é mais íntimo que sexo


Ontem fez um mês que eu não beijo ninguém (isso mesmo, zero pegação) e tenho uma teoria para explicar o porque disso(lógico, levem em conta também meu atual estado de mulher apaixonada).
Vamos a teoria então:
Beijo na boca é mais íntimo que sexo sim, primeiro porque, sexo faz parte do instinto animal, está ligado a necessidade de sobrevivência da espécie, enquanto o beijo está mais ligado a afeto, a carinho, a sentimento. Prova disso é que nenhum animal, exceto os seres humanos, beija na boca, mas, todos procriam.
Segundo, quando você transa com alguém usa preservativo (pelo menos deveria) o que impossibilita a troca de fluídos, certo? Ao beijar alguém é impossível evitar essa troca de fluídos, o que permite a troca de diversas bactérias (eca, mas isso é saudável gente (impressionante certas coisas da natureza)) e também a transnissão de algumas doenças e viroses (mas ok, beijar continua sendo muito bom).
Existe um terceiro motivo que é mais um adendo para reflexão tá? Mas, let's go. Se o beijo não é mais íntimo que o sexo porque garotas de programas não beijam seus clientes e os próprios clientes se recusam a beijá-las?
Então é esse o motivo de eu sair de balada e dificilmente ficar com alguém. Para mim, só para mim (não tenho a pretensão de convencer ninguém), não faz sentindo beijar alguém que nem o nome você tem certeza (hellooooooo, as pessoas mentem sobre seus nomes na balada, e eu sou prova disso. há). Fora isso, geralmente as pessoas ficam com mais de uma pessoa na mesma noite, nojooooooooooo, aí a troca de fluídos passa a ser maior ainda. Arghhhhhhhhhhh.
Resumindo, lugar de conhecer potenciais ficantes não é em balada. Pode ser qualquer outro lugar, reunião de amigos (sempre tem o amigo do amigo que é interessante e você não conhecia), barzinhos onde existe a possibilidade de uma conversa antes da consumação do fato e etc...
Só explicando, eu frequento vários lugares que favorecem esse tipo de situação, mas é aí que entra a parte da minha cabecinha estar longe, pensando em alguém que nem deve lembrar que eu existo.
Por Ana
Fonte: http://omundoeuvejoassim.blogspot.com.br/2009/01/beijo-na-boca-mais-ntimo-que-sexo.html
"Beijar é mais íntimo que trepar. Por isso eu odiava saber que as minhas mulheres andavam beijando outros homens. Preferia que só trepassem com eles."Charles Bukowski 

BEIJO: TERMÔMETRO DA BOA RELAÇÃO


Se pudesse traduzir paixão em apenas um gesto, qual seria? A gente já escolheu a representação física desse sentimento e torce pra que todos os casais concordem. O beijo - ele, tão idealizado quando somos meninas e infelizmente banalizado quando crescemos - é sim, a representação máxima da paixão entre duas pessoas.

O problema é que, muitas vezes, ele é deixado de lado e, com o passar do tempo, perde a importância e o espaço dentro da relação. É como se fosse coisa de adolescente, de casal novo, de gente que não tem o que falar então usa a boca apenas pra beijar. Se você pensa assim, ligue todas as luzes de alerta! O beijo é o termômetro da relação. Se continua quente como nos primeiros encontros, parabéns. Se já nem lembra quando deu o último no maridão, bom, é melhor parar pra pensar.
A psicóloga e expert em sexo e relacionamentos Tatiana Presser, é uma dessas entusiastas do beijo enquanto peça fundamental de uma relação. "Ele é o jeito mais íntimo de demonstrar carinho e amor ao parceiro", garante. Além disso, funciona como estímulo aos filhos, que veem no carinho trocado pelos pais um exemplo a ser seguido. "Numa relação familiar é uma forma extremamente saudável demonstrar aos filhos que essa relação é amorosa e carinhosa, diferente do que outras parcerias".
Prestar atenção no beijo pode até salvar a relação. E, por incrível que pareça, o beijo está, infelizmente, cada vez mais disperso. "É difícil ver um casal que se beija com frequência e demonstra carinho de uma forma amorosa", analisa Tatiana. "Essa demonstração é essencial para manterem um contato íntimo e um respeito mútuo".
Deixar o beijo na gaveta, no banco, esquecido na caixa das boas memórias não é necessariamente culpa do casal. O tempo passa, as responsabilidades mudam, o dia fica mais curto e aquele beijo molhado vira um selinho na testa. A paixão inicial se transforma sim em outros sentimentos, mas, nunca é tarde pra voltar aos tempos dos bons beijos de cinema. "Mesmo que haja amor na relação, a correria do dia-a-dia acaba fazendo com que a gente deixe este hábito de lado e, quando finalmente nos damos conta do sumiço, nos sentimos tímidos em inserir a prática novamente no relacionamento", diz Tatiana. E, a maluquice nisso tudo, segundo ela, é que as pessoas passam a ter vergonha de se beijar. "São as contradições da nossa sociedade. Podemos dançar de forma explícita, mas o beijo sempre provoca um desconforto e por isso muitas vezes é deixado de lado".
A boa nova do beijo é que ele tem o poder de dar uma "chacoalhada", sempre! E vale para o bem ou para o mal - seja para demonstrar que está havendo problemas (quando é frio e sem gosto), ou para despertar o desejo adormecido. "Ele é determinante em mostrar para o outro o carinho, o amor e o afeto que se sente. O beijo é uma declaração, uma carta de amor".
E se você está tirando o corpo fora dessa análise só porque ainda transa com o amado como no começo da relação, atenção. "Muitos casais transam durante anos e não se beijam, mas poucos beijam, mas não transam", diz Tatiana. Entendeu? "O beijo é o gesto mais íntimo e, sem dúvida, mais íntimo do que o sexo em si. Não é a toa que muitas prostitutas fazem de tudo menos beijar".
Por Sabrina Passos (MBPress)
Fonte:http://www.vilamulher.com.br/familia/relacionamento/beijo-termometro-da-boa-relacao-13739.html

Postagens mais visitadas deste blog

A ADOLESCÊNCIA E O DESPERTAR DA SEXUALIDADE

Eu e o Sexo:Tanto os pais como os professores encorajam para que eles tenham boas notas, aconselham a escolher cuidadosamente a sua área de estudo, pensar na média para fazer o curso; noutras palavras que construam um projecto de vida académico e profissional, mas esquecem-se daquilo que, hoje em dia, dá mais problemas: A Sexualidade. Esta fica num vácuo. Por vezes parece que as únicas alternativas oferecidas aos adolescentes, neste campo, são: a entrega para a mão de um preservativo, ou de uma embalagem de pílulas contraceptivas, com a mensagem (inconsciente) de: “Faz o que quiseres! Mas não me apareças em casa grávida ou doente!”, ou de não falar em nada relacionado com a sexualidade, com medo de lhes dar ideias.

Nesta idade os rapazes interessam-se pelo que está a acontecer com o seu corpo. Gostam de saber que a sua coordenação física, consequência do surto do crescimento que sofrem, é temporária e que vão voltar a ser uns azes no seu desporto favorito; que o tamanho do pénis não é…

HÁBITOS ALIMENTARES DE ADOLESCENTES : A PERCEPÇÃO DE MÚLTIPLAS EXPERIÊNCIAS

Os adolescentes não possuem o hábito de  realizar as seis refeições diárias e  negligenciam o desjejum e o jantar  (Foto: shutterstock)
Hábitos alimentares de adolescentes: A percepção de múltiplas experiências*AMANDA LO BIANCO BORGES 28/01/2015
A adolescência é a fase na qual ocorrem intensas mudanças físicas, psicológicas e comportamentais. Estas mudanças fazem parte de um processo contínuo e dinâmico, que sofre influências do meio social e do ambiente onde o jovem se encontra. Nessa fase da vida, a alimentação tem um peso “extra”.  É na adolescência que se consolidam os hábitos alimentares para a vida adulta. Além disso, é um período de altas necessidades nutricionais que precisam ser satisfeitas para propiciar adequado crescimento e desenvolvimento da pessoa. Como é o período em que se adquire determinada independência e assumem-se responsabilidades, o adolescente fica mais vulnerável, do ponto de vista nutricional.
Num contexto mais geral, as escolhas alimentares podem ser influenciadas…

SEXO INSEGURO : CAMISINHAS E PÍLULAS NÃO PROTEGEM SEU CÉREBRO

ae_patara/Fotol


Sexo inseguro: camisinhas e pílulas não protegem seu cérebro Saiba como o sexo sem compromisso afeta suas emoções
De acordo com a cultura popular, homens precisam começar a fazer sexo o quanto antes, porque precocidade e diversidade de experiências são preparatórias para o bom desempenho na vida adulta. Já as mulheres são mais românticas e reflexivas em relação ao sexo, e costumam “entregar” a virgindade como um dote para com quem desejam passar o resto da vida. Alguns desses esterótipos sobre o comportamento sexual dos jovens foram confirmados e outros desmentidos na pesquisa