Pular para o conteúdo principal

OMS ALERTA QUE MAIS DE I BILHÃO DE JOVENS PODEM SOFRER DANOS AUDITIVOS POR MÚSICA ALTA

OMS alerta que mais de 1 bilhão de jovens podem sofrer danos auditivos por música alta

Cerca de 50% dos jovens de 12 a 35 anos de países com renda média ou alta se expõem a níveis sonoros muito fortes


Mais de 1 bilhão de jovens se arriscam a sofrer danos auditivos porque ouvem música muito alta, alertou nesta sexta-feira (27/02) a Organização Mundial da Saúde (OMS). O volume da música dos shows e boates costuma ser muito alto, assim como o som dos fones dos dispositivos de áudio ou smartphones.

Segundo os dados recolhidos pela OMS, cerca de 50% dos jovens de 12 a 35 anos de países com renda média ou alta se expõem a níveis sonoros muito fortes. "Cada vez mais jovens correm o risco de sofrer danos auditivos. Têm que ser conscientes de que a audição, uma vez perdida, não volta", afirmou nesta sexta-feira a doutora Shelley Chahda, da OMS.

Uma exposição a níveis sonoros muito altos e de forma prolongada pode provocar danos irreversíveis.


Nos locais de trabalho, o ruído não deve superar os 85 decibéis para um máximo de oito horas diárias de exposição. Para se ter uma ideia, 85 decibéis é o ruído que uma pessoa ouve quando está dentro do carro em meio ao trânsito em horário de pico.

Muitos funcionários que trabalham em boates, bares ou na organização de eventos esportivos enfrentam níveis que chegam aos 100 decibéis.  Segundo a OMS, uma pessoa não deveria se expor a um som como esse mais de 25 minutos por dia. 

Medidas preventivas
Visando a Jornada Mundial da Audição, no dia 3 de março, o organismo recomenda simples medidas preventivas. Os adolescentes devem reduzir o volume de seus dispositivos de áudio e telefones, evitar utilizá-los mais de uma hora por dia, usar tampões nos ouvidos nos locais muito barulhentos e fazer intervalos.

Também devem acompanhar o estado de sua audição e realizar exames regulares.

A OMS também recomenda que os governos imponham rígidas medidas normativas sobre o som nos lugares públicos, e pede que os donos de boates e bares baixem o volume da música. 

Cerca de 360 milhões de pessoas sofrem algum tipo de dano auditivo no mundo. Isso ocorre devido a fatores diversos, como doenças infecciosas, genéticas, complicações durante o parto, uso de certos medicamentos, ruído ou envelhecimento.


Fonte:http://sites.uai.com.br/app/noticia/saudeplena/noticias/2015/02/27/noticia_saudeplena,152412/

Postagens mais visitadas deste blog

SEXO INSEGURO : CAMISINHAS E PÍLULAS NÃO PROTEGEM SEU CÉREBRO

ae_patara/Fotol


Sexo inseguro: camisinhas e pílulas não protegem seu cérebro Saiba como o sexo sem compromisso afeta suas emoções
De acordo com a cultura popular, homens precisam começar a fazer sexo o quanto antes, porque precocidade e diversidade de experiências são preparatórias para o bom desempenho na vida adulta. Já as mulheres são mais românticas e reflexivas em relação ao sexo, e costumam “entregar” a virgindade como um dote para com quem desejam passar o resto da vida. Alguns desses esterótipos sobre o comportamento sexual dos jovens foram confirmados e outros desmentidos na pesquisa

HÁBITOS ALIMENTARES DE ADOLESCENTES : A PERCEPÇÃO DE MÚLTIPLAS EXPERIÊNCIAS

Os adolescentes não possuem o hábito de  realizar as seis refeições diárias e  negligenciam o desjejum e o jantar  (Foto: shutterstock)
Hábitos alimentares de adolescentes: A percepção de múltiplas experiências*AMANDA LO BIANCO BORGES 28/01/2015
A adolescência é a fase na qual ocorrem intensas mudanças físicas, psicológicas e comportamentais. Estas mudanças fazem parte de um processo contínuo e dinâmico, que sofre influências do meio social e do ambiente onde o jovem se encontra. Nessa fase da vida, a alimentação tem um peso “extra”.  É na adolescência que se consolidam os hábitos alimentares para a vida adulta. Além disso, é um período de altas necessidades nutricionais que precisam ser satisfeitas para propiciar adequado crescimento e desenvolvimento da pessoa. Como é o período em que se adquire determinada independência e assumem-se responsabilidades, o adolescente fica mais vulnerável, do ponto de vista nutricional.
Num contexto mais geral, as escolhas alimentares podem ser influenciadas…

A ADOLESCÊNCIA E O DESPERTAR DA SEXUALIDADE

Eu e o Sexo:Tanto os pais como os professores encorajam para que eles tenham boas notas, aconselham a escolher cuidadosamente a sua área de estudo, pensar na média para fazer o curso; noutras palavras que construam um projecto de vida académico e profissional, mas esquecem-se daquilo que, hoje em dia, dá mais problemas: A Sexualidade. Esta fica num vácuo. Por vezes parece que as únicas alternativas oferecidas aos adolescentes, neste campo, são: a entrega para a mão de um preservativo, ou de uma embalagem de pílulas contraceptivas, com a mensagem (inconsciente) de: “Faz o que quiseres! Mas não me apareças em casa grávida ou doente!”, ou de não falar em nada relacionado com a sexualidade, com medo de lhes dar ideias.

Nesta idade os rapazes interessam-se pelo que está a acontecer com o seu corpo. Gostam de saber que a sua coordenação física, consequência do surto do crescimento que sofrem, é temporária e que vão voltar a ser uns azes no seu desporto favorito; que o tamanho do pénis não é…