Pular para o conteúdo principal

A ADOLESCÊNCIA E A AUTO ESTIMA



A adolescência é um período de grande   
vulnerabilidade que faz balançar a
auto-estima e a auto-imagem.


A adolescência é um momento extremamente difícil para o adolescente porque implica grandes mudanças no organismo, principalmente ao nível hormonal.
As transformações ocorrem em todo o corpo e geram preocupações e algumas incertezas. O adolescente encontra no seu grupo de amigos o meio que lhe proporciona confiança, onde aprende a desenvolver uma boa auto-imagem e com quem tem a possibilidade de compartilhar e esclarecer as suas dúvidas.
Geralmente, a puberdade inicia-se por volta dos 10 e dos 12 ou 13 anos. É uma “mensagem” que parte do cérebro, desde o hipotálamo até à hipófise, que envia um estímulo, em forma de fatores hormonais, que estimulam o ovário e o testículo. Os órgãos sexuais começam a segregar os seus respectivos hormonios, estrogénio e progesterona na mulher e testosterona no homem, e consequentemente inicia-se um acentuado desenvolvimento biológico e morfológico. No rapaz cresce-lhe a barba, aparecem as primeiras espinhas, muda o tom de voz e o seu corpo torna-se mais robusto. Na moça desenvolve-se o peito, as curvas corporais ficam mais salientes, devido o acumulo de gorduras, e surge-lhe a primeira menstruação.
Estas mudanças, em alguns casos visíveis ao mundo exterior, geram novas expectativas no adolescente e naqueles que o rodeiam. Nascem novas emoções e novas sensações num outro corpo, um corpo diferente com outras necessidades que o adolescente necessita de compreender para poder sentir-se bem consigo mesmo.
A puberdade é um período de transição que envolve uma verdadeira explosão e revolução bio-psico-social que marcará os anos seguintes da vida do adolescente.
A aceitação do novo corpo implica um processo de construção de uma nova identidade, que origina mudanças bruscas de humor e de atitudes. Quantas vezes observamos rapazes que em certos momentos fazem “birras” porque não querem tomar banho e pouco tempo depois passam horas no banho a pentearem-se e a perfumarem-se para irem sair à noite?
Para se compreender melhor a complexa fase da adolescência basta pensar, por exemplo em várias perguntas, que são aquelas que diariamente o adolescente coloca. Quem sou eu? Como me vejo? Será o meu corpo normal? Serei igual aos outros? Todas estas interrogações geram insegurança no adolescente e fazem balançar a sua auto-estima. O aspecto físico na adolescência desempenha um papel importante, principalmente no grupo de amigos. Ser popular e líder depende sobretudo de uma boa aparência física.
O adolescente que sabe ultrapassar esta visão é um jovem com mais maturidade e com uma boa auto-estima, que se aceita tal como é, com as suas qualidades e os seus defeitos.
Se for pai ou educador aqui ficam alguns conselhos para ajudar o adolescente a desenvolver uma boa auto-estima:
Tente não criticar
Mesmo que não goste do piercing na barriga ou do cabelo raspado lembre-se, que para o adolescente, eles têm um peso importante dentro do seu grupo, porque são elementos de identificação e de algum status.
Elogie as boas ações
Saiba apreciar as boas ações do adolescente, valorizá-lo sempre que cumpre as responsabilidades, isso é motivante e desenvolve uma boa auto-imagem.
Nunca poupe os elogios
Não tenha medo de elogiar o adolescente, ele não vai ficar mais vaidoso por isso, pelo contrário estará  ajudando-o a se compreender melhor.
Aceite-o como é
Aceite o adolescente como é, com as suas características próprias, saiba respeitar os seus interesses mesmo que não os compartilhe.
Lembre-se que o adolescente é sensível
A ofensa, o humor inapropriado, a piada que magoa, é vivido intensamente pelo adolescente, mesmo que a sua intenção não seja magoar. Lembre-se que a puberdade é um momento de muitas inseguranças e por isso não devemos humilhar o adolescente, pelo contrário, devemos valorizá-lo para seja competente e se aceite como é.
Encoraje-o a defender as suas opiniões e ideais
Não subestime o pensamento do adolescente. Converse e aprenda a escutar as suas opiniões. É a maneira de ele se expressar e dar a conhecer o seu mundo interior. Quanto mais compreender o adolescente melhor educador será, porque saberá como responder adequadamente às suas necessidades.
Leve a sério as preocupações do adolescente
Ofereça a sua ajuda prática para ultrapassar as preocupações do jovem. Não considere que são preocupações disparatadas, lembre-se que são as dúvidas dele, provavelmente típicas da sua fase de desenvolvimento, e que nunca devem ser comparadas com a dos adultos. Normalmente na puberdade as principais preocupações estão relacionadas com a aparência física.


Postagens mais visitadas deste blog

A ADOLESCÊNCIA E O DESPERTAR DA SEXUALIDADE

Eu e o Sexo:Tanto os pais como os professores encorajam para que eles tenham boas notas, aconselham a escolher cuidadosamente a sua área de estudo, pensar na média para fazer o curso; noutras palavras que construam um projecto de vida académico e profissional, mas esquecem-se daquilo que, hoje em dia, dá mais problemas: A Sexualidade. Esta fica num vácuo. Por vezes parece que as únicas alternativas oferecidas aos adolescentes, neste campo, são: a entrega para a mão de um preservativo, ou de uma embalagem de pílulas contraceptivas, com a mensagem (inconsciente) de: “Faz o que quiseres! Mas não me apareças em casa grávida ou doente!”, ou de não falar em nada relacionado com a sexualidade, com medo de lhes dar ideias.

Nesta idade os rapazes interessam-se pelo que está a acontecer com o seu corpo. Gostam de saber que a sua coordenação física, consequência do surto do crescimento que sofrem, é temporária e que vão voltar a ser uns azes no seu desporto favorito; que o tamanho do pénis não é…

AUTOMUTILAÇÃO,UM FLAGELO DOS JOVENS NO MUNDO CONTEMPORÂNEO

O QUE É A AUTOMUTILAÇÃO ?

Automutilação (AM) é definida como qualquer comportamento intencional envolvendo agressão direta ao próprio corpo sem intenção consciente de suicídio. Os atos geralmente têm como intenção o alívio de dores emocionais e em grande parte dos casos, estão associados ao Transtorno de Personalidade Borderline. As formas mais frequentes de automutilação são cortar a própria pele, bater em si mesmo, arranhar-se ou queimar-se. A automutilação é comum entre jovens e adolescentes que sofrem pressão psicológica.


DefiniçãoAutomutilação refere-se a comportamentos onde demonstráveis feridas são autoinfligidas. A maioria das pessoas que se automutilam estão bastante conscientes de suas feridas e cicatrizes e tomam atitudes extremas para escondê-las dos outros. Eles podem oferecer explicações alternativas para suas feridas, ou tapar suas cicatrizes com roupas. A pessoa que se automutila não está, usualmente, querendo interromper sua própria vida, mas sim usando esse comportamen…

"ESSA É UMA GERAÇÃO QUE QUER DESCONTRUIR",SEGUNDO PAULA LIMENA CURY AUTORA DO LIVRO THE MILLENIAL MIND

Formada em psicanálise, marketing e moda, Paula Limena Cury é diretora de projetos na Archetype Discoveries Worldwide, nos Estados Unidos, companhia que tem como clientes mais de 50 das empresas do ranking Fortune 100, entre outras (Foto: Arquivo pessoal)“Essa é uma geração que quer desconstruir“A passagem do mundo analógico para o digital criou um abismo inédito entre a forma de pensar das gerações. A “geração do milênio” não é responsável por tudo o que é ruim, alerta a autora do livro The Millenial Mind. Individualistas, hiperconectados, desfocados, preguiçosos e perturbadores do sistema. Essas são as características mais repetidas para definir a “geração Y” ou “geração do milênio” – pessoas nascidas entre 1980 e meados de 1990. Mas a brasileira Paula Limena Cury não concorda com nada disso. Usando da sua formação em psicanálise e marketing, a especialista em projetos de branding, inovação e estratégia desconstrói esses rótulos em seu livro The Millennial Mind (“A Mente Millennial”,…