Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Maio, 2016

FAMÍLIA FLEX : OS DRAMAS E ÊXITOS NA CONSTRUÇÃO DE UMA INSTITUIÇÃO SEM GLAMOUR,A TRADICIONAL FAMÍLIA HOMOAFETIVA BRASILEIRA

Família Flex

Os dramas e êxitos na construção de uma instituição sem glamour: a tradicional família homoafetiva brasileira
Alyson sentia ódio e nojo de gays. Estupradores de crianças, pensava. Esse sentimento foi construído durante uma infância difícil. No lugar do amor de mãe, ele recebia surras que ardiam na alma. Apanhou tanto daquela que o deu à luz que foi levado para morar em abrigos. As fugas eram constantes. A esperança era voltar para casa, sonhando com um carinho inexistente. O destino fez com que o tão esperado abraço viesse daquelas pessoas que desprezava. Hoje, aos 15, Alyson fala três línguas, escreveu três livros e estuda para ser coreógrafo. Mais que isso: do casal homossesexual que o adotou há cinco anos, recebeu amor e respeito.
A transformação vivida por Alyson e por várias outras crianças tem sido menos traumática, se possível, desde maio de 2011, quando o STF (Supremo Tribunal Federal) reconheceu a união homoafetiva. Gays passaram a ter os direitos de um casal hetero…

ADOLESCENTES,DÁ PARA CONFIAR NELES ?

Dá para confiar neles? Adolescentes podem mentir de vez em quando, mas não são de todo traiçoeiros. Eles vão abrir o jogo para os pais - desde que ganhem mais liberdade em troca de sua confiança Edição312a Dezembro de 2012
Maurício Horta Para bebês, o controle dos pais é total. Até fora do país eles podem checar como vai o sono do filho - é só ter um smartphone e uma câmera preparada. Quando ele vai para a escola, os pais perdem um pouco do controle. Ainda assim, ficam sabendo o que a criança faz ali em reuniões com professores ou por meio de boletins escolares. Podem checar a mochila, impor horários, desencorajar algumas amizades e estimular outras. Mas basta chegar a adolescência para que tudo mude. Livre da supervisão de adultos, tudo o que os pais podem fazer é acreditar no que o filho diz. E adolescentes não contam muito. Para ter uma ideia, pouco mais da metade dos pais sabe o que os estudantes de 9º ano do ensino fundamental fazem em seu tempo livre, segundo uma pesquisa do Ministér…

A GERAÇÃO X ESTÁ CHUTANDO O BALDE - PARA OS JOVENS DA GERAÇÃO Y REFLETIREM...

A Geração X está chutando o balde.
Essa semana recebi um e-mail de despedida de uma amiga e parceira de trabalho. Ela vendeu sua parte na sociedade da empresa que ela mesma havia montado, anos atrás, para tirar um período sabático. Vai para a Europa estudar gastronomia e fotografia, suas duas paixões. Não é a primeira nem última amiga minha, por volta dos 35 anos, com uma carreira bem sucedida e vida estável, que toma essa decisão. Uns três anos atrás, um amigo próximo um dia disse adeus ao emprego que tinha. Todos ficaram meio surpresos. O cara trabalhava há mais de uma década em grandes empresas, era respeitado e tinha uma vida confortável no Rio de Janeiro. Mas encheu o saco. Resolveu estudar Gestalt, voltou pra Florianópolis – sua cidade natal – e abdicou de grande parte do conforto em busca do que o faria feliz de verdade. Ele nunca mais fez uma apresentação de power point na vida, usa o excel apenas para controlar seus gastos mensais e esbanja um brilho nos olhos toda vez que nos …